Bom dia!
Guajará Mirim, RO
domingo, 17 de dezembro de 2017 06:06:16
Notícias

AFRONTA – Advogado exibe arma em rede social e é preso preventivamente


Domingo, 26 de novembro de 2017 17:39:59


O advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior ganhou repercussão nas redes sociais nesta semana, após aparecer em vários vídeos fazendo apologia ao crime, insinuando-se com o uso de uma arma de fogo e dizer ser pertencente a uma facção criminosa atuante no Acre, o Comando Vermelho. Com a grande repercussão, a Polícia Civil iniciou uma investigação e nesta sexta-feira (24), acompanhado de um advogado, Manoel Elivaldo se apresentou na Direção Geral de Polícia Civil, onde foi preso preventivamente.

Conforme a prisão, em coletiva, o delegado Pedro Resende informou que Manoel Elivaldo deve responder pelos crimes de associação criminosa, posse ilegal de arma de fogo. As provas juntadas contra ele foram todas registradas em vídeo e circulam nas redes sociais, inclusive efetuando disparos possivelmente dentro de uma residência. A polícia busca ainda encontrar a arma utilizada nos vídeos.

Ainda nesta sexta-feira, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Acre (OAB/AC) suspendeu preventivamente a inscrição do advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior, após manifestação de conduta incompatível com a advocacia. De acordo com uma nota publicada na quinta, o presidente da OAB/AC, Marcos Vinícius Jardim Rodrigues afirmou que “Advogado que se presta à fanfarronice, bravatas, incontinências públicas e até a prática de ilícitos é um NÃO advogado e assim será considerado pela OAB/AC”, escreveu.

Conforme decisão da OAB/AC, Manoel Elivaldo teve a inscrição advocatícia suspensa do quadro interno pelo prazo de 90 dias, fundamentada nos artigos 52, VI, XXI, e XXIV do Regimento Interno da OAB/AC e artigo 70, § 3º, da Lei n. 8.906/94.

Leia abaixo a decisão na íntegra:

DECISÃO

Ganharam as redes sociais e os noticiários os vídeos e imagens do profissional MANOEL ELIVALDO BATISTA DE LIMA JÚNIOR em condutas manifestamente incompatíveis com a Advocacia, num primeiro momento portando armamento adulterado e numa segunda oportunidade realizando gravosas declarações, distorcendo e deturpando a profissão da advocacia.

O artigo 31 da Lei Federal n. 8.906/94 (Estatuto da Advocacia) estabelece que “O advogado deve proceder de forma que o torne merecedor de respeito e que contribua para o prestígio da classe e da Advocacia”.

Do mesmo modo, o Código de Ética da Advocacia, em seu artigo 1º, exige entre outros, conduta compatível com os princípios da moral individual, social e profissional, estabelecendo que é dever do advogado “preservar, em sua conduta, a honra, a nobreza e a dignidade da profissão, zelando pelo seu caráter de essencialidade e indispensabilidade”. (Art. 2º, Parágrafo único, “I”).

Advogado que deliberadamente grava e divulga mídia proclamando “sou bandido mesmo”, vinculando a odiosa expressão ao sagrado direito da advocacia deve responder por sua malsinada conduta e, para tanto o Tribunal de Ética e Disciplina in continenti instaurou o devido Procedimento Administrativo Disciplinar para que, respeitado o direito de defesa do profissional, responda por seus atos em processo adequado de julgamento.

Ocorre que, diante da gravidade dos fatos, as declarações do profissional tomaram proporções assombrosas, repercutindo negativamente no conceito da classe que estupefata exige medida imediata visando guarnecer a profissão e a credibilidade que os profissionais da advocacia nutrem perante a sociedade.

Decerto, debalde são as mensagens via WhatsApp, redes sociais, telefones, e-mails pedindo postura da OAB/AC consentânea com a gravidade dos fatos que, por sua vez, foram divulgados em todos os meios de comunicação eletrônicos, em alguns sites jornalísticos por mais de uma oportunidade.

Nada obstante, chega-me a notícia que a partir do evento, o Instituto de Administração Penitenciária do Acre – IAPEN, baixou portaria determinando vigorosa revista dos advogados nos estabelecimentos prisionais do Estado, decisão que embora injusta e generalizada, tem seu nascedouro na aleivosa conduta ora fustigada.

Convenço-me, pois, da necessidade de medida imediata, visando estancar a gravosa repercussão dos atos tomados pelo advogado MANOEL ELIVALDO BATISTA DE LIMA JÚNIOR e o faço com espeque no artigo 52, VI, XXI e XXIV do Regimento Interno da OAB/AC, verbis:

Art. 52 – Compete ao Presidente da Seccional, além do disposto na Lei 8.906/94 e no Regulamento Geral da Ordem:

VI – tomar medidas urgentes em defesa da classe ou da Ordem e cumprir o disposto no art. 44, I, da Lei 8.906/94;

XXI – resolver os assuntos urgentes, ad referendum do Conselho, editando os atos necessários;

XXIV – tomar medidas urgentes em defesa da classe ou da Ordem.

No mesmo diapasão, o artigo 70, § 3º, da Lei n. 8.906/94 estabelece o poder de cautela em casos de repercussão prejudicial à dignidade da advocacia, como soi acontecere, no âmbito das atribuições legalmente estatuídas, cabe-me tutelar a higidez do conceito e credibilidade que irradia de tão nobre Instituição, que historicamente tem prestado relevantes serviços ao amadurecimento democrático da nação brasileira.

Medida Cautelar, inclusive encontra-se espelho já no judiciário, tal qual decisão:

Assim, com fundamento nos artigos 52, VI, XXI, e XXIV do Regimento Interno da OAB/AC e artigo 70, § 3º, da Lei n. 8.906/94, decido SUSPENDER PREVENTIVAMENTE A INSCRIÇÃO DO ADVOGADO 4677 DOS QUADROS DA OAB/AC, pelo prazo de 90 (noventa) dias, ad referendum do Conselho Pleno da OAB/AC.

Determino as medidas de praxe no sistema eletrônico da OAB/AC, visando o cumprimento desta decisão.

Notifique-se o Advogado.

Agende-se com a urgência que o prazo requer sessão Extraordinária com conselho pleno.

Oficie-se o Tribunal de Justiça do Estado do Acre, a Coordenadoria dos Juizados Especiais, os Juízes de todas as Comarcas, os Diretores dos Fóruns, o IAPEN, a Secretaria de Segurança Estadual, os Ministérios Públicos Federal e Estadual e a Superintendência da Polícia Federal no Estado do Acre.

Cientifiquem-se o Presidente do TED/AC e os Conselheiros Seccionais e Federais da OAB/AC.

Expeça-se, enfim, ofício ao Presidente do Conselho Federal da OAB.

Cumpra-se.

Rio Branco, Acre, 24 de novembro de 2017.

Marcos Vinícius Jardim Rodrigues

Presidente da OAB/AC

 

Fonte: Acreaovivo.com


Essa Notícia foi Visualizada 47 vezes

Vídeos

Mais Notícias
Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 16:27:29
APROVEITE AS PROMOÇÕES EM TINTAS DA DISMONZA TINTAS EM DEZEMBRO.
Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 14:24:13
STF reduz pena de Cassol em processo sobre licitações
Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 13:46:19
CORREIOS: Assaltos nas agências causam pânico em Porto Velho
Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 13:13:36
MOTO TAXISTA TEM MOTO ROUBADA EM ASSALTO EM GUAJARÁ-MIRIM
Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017 09:06:01
Acadêmico comete suicídio dentro de empresa após noiva se matar
Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017 09:32:02
Adolescente desaparece próximo do Porto Velho Shopping
Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017 09:21:00
Dupla composta por cabo do Exército é presa com moto roubada
Terça-feira, 12 de dezembro de 2017 09:01:45
TREZOITÃO: Empresário é preso armado com revólver em veículo
Ver Lista Completa