Quarta, 25 de Maio de 2022
23°

Poucas nuvens

Guajará-Mirim - RO

Polícia POLÍCIA EM AÇÃO

Policial Penal é preso durante Operação Tranca deflagrada pela Polícia Civil em Guajará-Mirim

Durante a manhã desta segunda-feira (02), a Polícia Civil de Guajará-mirim, sob o comando do Delegado Regional Dr Rogério Pereira

03/05/2022 às 00h04
Por: João Teixeira Fonte: Agora Guajará
Compartilhe:
Divulgação
Divulgação

Durante a manhã desta segunda-feira (02), a Polícia Civil de Guajará-mirim, sob o comando do Delegado Regional Dr Rogério Pereira deflagrou a OPERAÇÃO TRANCA, que investiga a prática de corrupção passiva e corrupção ativa de um Policial Penal lotado em Guajará-mirim.

Com vastas provas contra um Policial Penal, os investigadores pediram a prisão, e a justiça concedeu mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, na Avenida 15 de Novembro no bairro 10 de abril.

Segundo as investigações, o policial penal detido na operação, valendo-se da função pública, ganhava uma boa quantidade em dinheiro, e em troca facilitava a entrada de objetos proibidos nas celas, como tabaco, celulares, serras, facilitando assim a vida de detentos.

Na manhã desta segunda-feira, o Delegado Regional e investigadores da Polícia Civil, cumpriram mandados de busca e apreensão em duas residências, uma na Leopoldo de Matos, na casa de uma mulher de 50 anos acusado de levar materiais ilícitos para o presidio e na residência do Policial Penal de 49 anos.

O policial penal foi abordado em frente à sua residência, e reagiu à prisão ao ser cientificado da apreensão do seu aparelho telefônico.

Mesmo os policiais apresentando suas identificações e a ordem judicial, o Policial Penal tentou obstruir os trabalhos reagindo à revista policial, e acabou sendo algemado e preso.

Em um dos quartos da residência dele, os policiais encontraram 3 aparelhos celulares, outros 4 celulares foram encontrados na sala, e em gavetas e espalhados pela residência.

Em uma bolsa ainda foi encontrado um carregador de arma de fogo tipo pistola, municiado, totalizando 20 munições intactas, calibre 380, mas ele garantiu que possui documentação, mas não apresentou.

Sobre a arma, ele relatou ter empenhado a um moto taxista, e apresentou justificativas confusas e desconexas.

Tanto a esposa do Policial, quanto uma advogada acompanharam todos os trabalhos realizados pela Polícia Civil, e a prisão do Policial que foi conduzido e apresentado ao comissário de plantão na Delegacia Regional.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.