Domingo, 16 de Junho de 2024
24°C 35°C
Guajará-Mirim, RO
Publicidade

PF deflagra operação para combate a crimes na Terra Indígena Igarapé Laje

Foram verificadas a divisão e a demarcação da área em cerca de 100 lotes, em prática de grilagem de terras

29/05/2024 às 14h58 Atualizada em 31/05/2024 às 07h48
Por: João Teixeira Fonte: Fonte: PF/RO
Compartilhe:
Foto: PF
Foto: PF

A Polícia Federal, com o apoio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA, da Fundação Nacional dos Povos Indígenas – FUNAI, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio e do Exército Brasileiro – EB, deflagrou nos dias 26, 27 e 28/5 a Operação Retomada II, para combater crimes praticados na Terra Indígena – TI Igarapé Laje, situada em Nova Mamoré/RO e em Guajará/Mirim/RO.

A ação, que durou três dias, contou com 15 policiais federais, 2 agentes do IBAMA, 2 agentes da FUNAI, 2 agentes do ICMBio e 41 militares do EB, visou a repressão a crimes de invasão de terras públicas e a crimes contra a flora, especialmente de desmatamento ilegal, no interior da TI Igarapé Laje.

A área desmatada no local alcança 840 hectares, extensão que corresponderia a aproximadamente 800 campos oficiais de futebol. Os invasores criaram um grande corredor de ponta a ponta da reserva, com extensão de aproximadamente 20 quilômetros, além de construir várias pontes, uma delas com mais de 240 metros de extensão.

Foram encontrados veículos, habitações e outras estruturas utilizadas para apoio às práticas ilícitas. Como as atividades desenvolvidas não eram permitidas no local, segundo orientação do IBAMA, foram destruídas 5 pontes (totalizando cerca de 500 metros de extensão), 5 habitações, 2 galpões e 3 veículos.

A Operação Retomada II é a quarta operação da Polícia Federal na TI Igarapé Laje no ano de 2024. Durante o decorrer da última ação, realizada nos dias 16 e 17/5, em represália às atividades de combate aos crimes, os invasores derrubaram na madrugada do dia 17/5 dezenas de árvores em vários pontos de acesso, obstruindo a passagem das equipes e dificultando as atividades de fiscalização e de desintrusão de invasores.

Os responsáveis podem ser condenados pela prática do crime de invasão de terras públicas com intenção de ocupação e o crime de desmatamento clandestino em área pública, ficando sujeitos a penas de detenção por até 3 anos e de reclusão por até 4 anos, respectivamente.

       

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Guajará-Mirim, RO
28°
Tempo limpo

Mín. 24° Máx. 35°

28° Sensação
0.83km/h Vento
47% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
07h37 Nascer do sol
07h07 Pôr do sol
Seg 37° 21°
Ter 36° 22°
Qua 36° 22°
Qui 35° 24°
Sex 38° 22°
Atualizado às 20h03
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,38 +0,00%
Euro
R$ 5,77 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,63%
Bitcoin
R$ 378,622,79 +0,80%
Ibovespa
119,662,38 pts 0.08%
Publicidade
Publicidade